Gravidez e obesidade não cabem na mesma frase

Estar acima do peso reduz em 8% as chances de engravidar, já a obesidade reduz em 18%. A partir da segunda gestação estas chances são reduzidas ainda mais.

Não pense que a mulher que está acima do peso tem as mesmas chances de engravidar que as que estão com o peso normal. Quem está acima do peso tem 8% menos chances de engravidar. Já para as mulheres obesas, esse número aumenta para 18% caso seja a primeira gestação. A partir da segunda gestação, as chances são ainda menores, chegando a 16% para mulheres com sobrepeso e 34% para mulheres obesas. A dificuldade de engravidar aumenta conforme o grau de obesidade.


As chances de engravidar são cada vez menores para as obesas, isto porque o acúmulo de gordura altera todo o processo de produção de hormônios, que são essenciais para o bom desenvolvimento dos ovários e para a fertilidade. A insulina, por exemplo, pode levar a mulher a ter síndrome de ovário policístico, que também está associada a ciclos menstruais irregulares, diminuição ou parada da ovulação e níveis elevados de hormônios, o que diminui as chances de gestação.


O estrogênio é outro hormônio prejudicado pelo excesso de gordura. Ele é fundamental para regular a ovulação. O tecido adiposo leva a uma maior produção desse hormônio, além disso, o estrogênio é responsável pela liberação dos hormônios luteinizante e folículo estimulante, que são essenciais para o desenvolvimento dos óvulos.


Mulheres obesas também podem ter deficiências das vitaminas B12, acido fólico, ferro, entre outras, o que pode trazer várias complicações. O ácido fólico é muito importante antes do nascimento da criança, pois atua na diminuição do risco de problemas cardíacos e defeitos na coluna vertebral dos bebês. O ferro é essencial para ajudar o feto a crescer e se desenvolver bem.


Outro problema é que as mulheres obesas tendem a fugir dos cereais, frutas e legumes e ingerem mais alimentos processados, que são ricos em calorias e gorduras trans e não tem quase nenhum valor nutritivo.


Especialistas afirmam que perder entre 10% à 20% do peso antes de tentar engravidar pode aumentar muito as chances da gestação transcorrer normalmente e do bebê nascer com saúde.


Dr. Guilherme Antoniette

CRM/SP: 79.160 – RQE n° 40.632

0 visualização
  • Youtube - Clínica Endonette
  • Facebook - Clínica Endonette
  • Instagram - Clínica Endonette

Links Uteis

CFM

CRM/SP

SOBED

SBCBM

G1

BLOG

Responsável Técnico: 

Dr. Guilherme Antoniette

CRM/SP: 79.160 – RQE n° 40.632

Dr. Guilherme Antoniette - Clínica Endonette - Balão Intragástrico - Plasma de Argônio - Sutura Endoscópica - Santos - Baixada Santista - ABC